fbpx

“Diversificação é o único almoço grátis que você encontrará no mercado.”

diversificacao-almoco

A diversificação consiste em alocar recursos em diferentes ativos, mas não em qualquer ativo. A quantidade (número absoluto) nem sempre garante um diversificação eficiente.

Esses ativos devem ser descorralacionados e/ou inversamente correlacionados entre si. Assim, muito provavelmente, quando um ou alguns desvalorizarem, outros irão valorizar. É como se um grupo de ativos fizesse a defesa de outro grupo e vice-versa.

Quando bem alocado, um portfólio diversificado melhora a relação de risco/retorno. Dessa forma, podemos ter um rentabilidade maior para um mesmo grau de oscilação (risco) ou oscilações menores para uma mesma rentabilidade.

Hoje com a plataformas abertas e uma quantidade enorme de opções de investimentos, dentro e fora do país, a diversificação se tornou mais acessível aos investidores comuns e facilitou o trabalho dos profissionais de mercado.

Agora, um ponto de atenção: a correlação usa dados históricos e nada garante que esse histórico irá se repetir da mesma forma no futuro.  

E é pensando justamente nisso que irei compartilhar com vocês como fazemos a diversificação das carteiras para nossos clientes aqui na Manchester Investimentos.

1- A partir das conversas entre o assessor e o cliente, é definido o perfil de investidor (não existe o melhor investimento, existe o mais adequado para cada um) e os objetivos de curto e longo prazo;

2- Enquanto isso nossa área de alocação liderada por dois profissionais CFA´s (certificação de maior relevância no mundo na área de análise financeira) define a matriz de alocação.

Essa matriz é composta por 4 perfis: conservador, moderado 1, moderado 2 e agressivo e 13 classes de ativos. Além disso, com boa parte dos recursos voltado para a alocação estratégica (longo prazo) é separado sugestões para a alocação tática (curto prazo) para se beneficiar de oportunidades pontuais.

Para cada perfil existe uma alocação (% da carteira) sugerida em cada classe, o que gera essa matriz.

3- Para cada uma das 13 classes de ativo, a equipe de alocação separa o que eles consideram ser as melhores opções. Outros profissionais da mesma área entram em contato com os gestores e a gestora para saber da visão e posicionamento de cada uma.

– Notem como essa parte é importante, não avaliamos somente a correlação histórica das nossas sugestões, mas sim o posicionamento para o futuro –

Isso evita um diversificação “fake”, em que voce tem por exemplo 5 fundos multimercado e todos posicionados exatamente da mesma forma. Ou seja, ninguém defende ninguém.

4- O assessor faz a sugestão de alocação a partir das informações do cliente e da área de alocação. Por fim, o assessor apresenta e explica cada ativo sugerido e se o cliente estiver de acordo efetuamos a alocação sugerida.

Uma vez alocado, existe um monitoramento constante e caso haja algum fato relevante em cima de algum ativo sugerido, entramos em contato com o cliente para verificar as possíveis alterações. Por outro lado, alinhamos com o cliente que qualquer mudança no perfil ou nos objetivos, nós assessores devemos ser avisados.

Baixe agora o seu ebook
Previous
Next
Abra sua conta agora
Cadastre-se e receba mais conteúdos

Posts relacionados

Previdência Privada, DI, CDI, Tributação, Fundos de Investimentos, PGBL, VGBL, Plano Gerador de Benefício Livre, Vida Gerador de Benefício Livre, Regressiva e Progressiva, IR
Invista com a melhor escolha para os seus investimentos.