Abra ou transfira sua conta. Comece preenchendo os dados a seguir.
Leva poucos minutos.

    Blog

    O que são os Ciclos de Commodities e quais oportunidades eles oferecem?

    As commodities são consideradas a base de muitas economias e têm especial importância no cenário brasileiro. Essas matérias-primas, que têm características específicas, movimentam bilhões de dólares por ano.

    Além dos produtores do ramo, os investidores também podem aproveitar tais produtos. E uma das formas de fazer isso envolve os ciclos de commodities. Ao conhecer os conceitos mais importantes, você tem a chance de adotar oportunidades que possam ajudar na conquista de resultados.

    Por isso, neste artigo você saberá o que são os ciclos de commodities e entenderá quais impactos eles causam. Confira!

    O que são commodities?

    Commodities correspondem a matérias-primas que costumam ser utilizadas em outros processos de fabricação. Por conta disso, servem de insumos para as indústrias de transformação.

    Entre as commodities mais comuns do Brasil, estão o minério de ferro, a soja, o milho, o café e o petróleo.

    Como as commodities funcionam?

    Como você viu, as commodities são matérias-primas que servem para a criação de outros itens com maior valor agregado. Elas são pouco processadas e muito semelhantes, independentemente de como são produzidas — diferentemente de um produto manufaturado, por exemplo.

    Outro ponto importante sobre o funcionamento delas é que seus preços oscilam diariamente. Além disso, o comércio de commodities frequentemente envolve operações de exportação e importação.

    Então países que não têm matérias-primas o suficiente em seu próprio território compram daqueles que têm excedente.

    Qual é o cenário histórico do agronegócio no Brasil?

    Considerando as características das commodities, é possível relacioná-las diretamente ao setor de agronegócio. Afinal, a produção agrícola e pecuária é responsável pela comercialização de diversas commodities.

    Historicamente, a produção agropecuária sempre foi amplamente difundida no Brasil. No começo da colonização, a exportação de pau-brasil já demonstrava a capacidade local. Ao longo dos séculos seguintes, ocorreram ciclos de cana-de-açúcar, mineração, extração de borracha e café.

    A partir da década de 1930 até 1950, o agronegócio brasileiro começou a ganhar força. Um grande impulso ocorreu de 1970 até 1990, fomentando a produção latifundiária e monocultora. Isso ajudou o país a produzir safras recordes de soja — uma das principais commodities produzidas pelo setor.

    Em 2020, o Brasil foi o maior produtor de soja, açúcar e café do mundo. Também foi o segundo maior exportador de milho, o terceiro maior produtor de frutas e o quarto de feijão.

    Portanto, o aumento no preço dessas matérias-primas pode afetar positivamente os produtores agrícolas e, consequentemente, uma base importante da economia brasileira.

    O que são ciclos de commodities?

    Depois de conhecer os conceitos relacionados às commodities e de entender o setor do agronegócio no Brasil, você está pronto para compreender os ciclos de commodities. Eles correspondem a períodos em que há uma mudança substancial no preço, seguindo tendências de mercado.

    O termo é mais comumente usado em períodos de alta. Logo, um ciclo de commodities costuma representar um avanço significativo nos preços das matérias-primas negociadas entre mercados.

    Como funcionam os ciclos de commodities no Brasil?

    Tão importante quanto saber o que é um ciclo de commodities é entender como e por que esse movimento acontece. No geral, a lei da oferta e da demanda é o principal aspecto que rege as cotações.

    Então, quando há uma queda na oferta, é provável que o preço aumente. Isso pode ocorrer quando um grande produtor para de realizar vendas ou diminui o montante disponível por uma demanda acelerada do mercado interno ou por dificuldades climáticas, por exemplo.

    O preço também aumenta quando ocorre uma elevação na demanda. Normalmente, ela está associada ao desenvolvimento de setores ou de toda a economia de um ou mais parceiros comerciais.

    Um exemplo foi o desenvolvimento da atividade econômica da China na década de 2010. Ele aumentou o consumo de aço pela construção civil. Isso fez com que o país aumentasse sua demanda por minério de ferro, o que elevou o preço dessa commodity.

    Além do que já está consolidado, a expectativa sobre movimentos dos mercados e de acordos comerciais pode criar uma tendência de aumento dos preços.

    Quais oportunidades esses ciclos oferecem para os investidores?

    Você acabou de ver que um ciclo de commodities pode elevar o preço dessas matérias-primas. Isso se reflete não apenas para os produtores diretos e para quem está envolvido com o agronegócio, mas também para quem faz parte do mercado financeiro.

    Se as commodities passam a valer mais, companhias que exportam tais produtos tendem a lucrar mais, por exemplo. Isso pode aumentar a atratividade de investidores para empresas de commodities na bolsa, o que pode levar à valorização dos papéis.

    Entre investimentos que fazem a distribuição de resultados, os pagamentos podem se tornar mais elevados — o que tende a ampliar a rentabilidade da carteira. Porém, para aproveitar todo esse potencial é necessário saber identificar e mesmo se antecipar aos ciclos.

    Quais são as alternativas para se expor a commodities na bolsa de valores?

    Agora que você entende melhor o contexto das commodities brasileiras, pode se interessar em saber como é possível se expor a elas. Na prática, as principais oportunidades estão na bolsa brasileira, mas em mercados distintos.

    No mercado à vista há como investir em empresas relacionadas ao agronegócio e às commodities. Pode ser o caso de buscar ações de companhias voltadas para a produção agrícola e pecuária, por exemplo. Como elas serão afetadas pelo ciclo das commodities, é uma forma de aproveitar os resultados.

    Já se você estiver disposto a tolerar mais riscos, pode especular no mercado futuro. Ele é composto por derivativos, que são os contratos futuros, cujas condições dependem do ativo-objeto. Entre as possibilidades, existem contratos futuros de commodities.

    Nesse caso, a liquidação normalmente é apenas financeira, não havendo negociação específica de produtos. Em vez disso, podem-se alocar recursos assumindo posições, em relação ao preço futuro das commodities.

    Os resultados do mercado futuro se dão pelo ajuste diário. Se o movimento for a favor da sua posição, o lucro é creditado em sua conta — e, no contrário, um valor é debitado. Ao final, o resultado é dado pela soma de todos os ganhos do período em que você se manteve posicionado.

    Como você acompanhou, os ciclos de commodities podem gerar grandes mudanças no preço das matérias-primas e valorização para produtores e investidores. Contudo, a oscilação nas cotações também envolve riscos. Assim, é preciso avaliar a oportunidade.

    Para ter acesso a informações confiáveis, tirar dúvidas e identificar oportunidades, o apoio de uma assessoria de investimentos faz a diferença. Precisa de ajuda? Fale conosco da Manchester Investimentos e entenda como podemos apoiá-lo!

    Tags: bolsa brasileiraMercado Financeirocommodities no Brasilo que são commoditiescommodities agrícolasempresas de commodities na bolsacommodities b3commodities brasileirasprodução agrícolaprodução pecuáriaatividade econômicamatérias-primasagrícola e pecuária

    Cadastre-se e receba mais conteúdos

      Obrigado pela visita em nosso site!

      Deixe suas informações nos campos abaixo para conhecer melhor o nosso trabalho de assessoria profissional, e receba um guia de investimentos gratuitamente.

      fechar popup

        Já sou cliente Manchester