Abra ou transfira sua conta. Comece preenchendo os dados a seguir.
Leva poucos minutos.

    Blog

    Quer investir em ações? Conheça 6 múltiplos fundamentalistas que podem ajudar!

    Quem pretende investir em ações precisa saber como analisar as diversas alternativas disponíveis no mercado. Se o foco está no longo prazo, a análise de fundamentos é uma das ferramentas mais utilizadas pelos investidores.

    Nesse sentido, o uso de múltiplos fundamentalistas é essencial para encontrar boas oportunidades de investimento na renda variável. Afinal, eles fornecem uma visão completa da empresa e favorecem a tomada de decisão.

    Pensando nisso, você conhecerá, neste artigo, 6 indicadores fundamentalistas que podem ajudar a investir em ações com maior segurança. Vamos lá?

    Qual é a importância da análise fundamentalista?

    Antes de conhecer os múltiplos fundamentalistas, é necessário entender a importância da análise de fundamentos para os investimentos. Para tanto, tenha em mente que é preciso analisar a ação de maneira objetiva e, até mesmo, subjetiva no momento de investir.

    O objetivo dessa avaliação é buscar empresas sólidas e com boa saúde financeira para fazer aportes com foco no longo prazo. Assim, você pode fazer investimentos mais seguros e montar uma carteira mais equilibrada. Porém, saiba que a análise fundamentalista não exclui o risco de mercado ao qual as ações estão expostas, mas ajuda a avaliá-los. Logo, ela é essencial para tomar decisões mais embasadas, pois permite ter uma visão ampla sobre a companhia no mercado.

    6 Múltiplos fundamentalistas que podem ajudar na análise de ações

    Agora que você sabe mais sobre a análise de fundamentos, vale conhecer os 6 múltiplos que podem ser utilizados. Em geral, eles se baseiam na relação entre dois indicadores para ter uma avaliação mais completa sobre a companhia.

    Confira:

    1.      Preço/lucro (P/L)

    Um dos indicadores fundamentalistas mais importantes é o preço sobre o lucro. Ele relaciona o preço da ação e o lucro da empresa por papel. Esse múltiplo permite identificar em quanto tempo você poderá ter o retorno do que foi investido.

    Encontrar um P/L maior pode parecer mais atrativo. No entanto, é fundamental considerar o contexto: um resultado baixo pode indicar uma oportunidade de investir em ações com preços descontados. Por esse motivo, os múltiplos fundamentalistas nunca são analisados individualmente.

    As análises devem ser feitas de acordo com um conjunto de indicadores. Dessa forma, o investidor pode ter resultados mais concretos e tomar decisões mais acertadas por meio de uma visão ampla do negócio.

    2.      Preço/valor patrimonial (P/VPA)

    Como o próprio nome indica, o P/VPA demonstra a relação entre o preço da ação e o valor patrimonial da empresa por ativo. Contudo, vale ter atenção ao fato de que esse indicador considera apenas os ativos tangíveis da organização.

    Dessa maneira, uma análise do P/VPA ajuda a demonstrar se as ações podem ser consideradas caras ou baratas em relação à empresa. Se o resultado for acima de 1, o papel está acima do valor patrimonial. Dependendo do contexto, essa situação pode não ser atrativa.

    Por outro lado, se o P/VPA for menor que 1, o ativo pode ser considerado barato. Ao analisar outros critérios, o investidor pode confirmar a viabilidade do investimento com auxílio desse indicador.

    3.      Margem EBITDA

    EBITDA é a sigla para Earning Before Interests, Taxes, Depreciation and Amortization. Ou seja, é o valor do lucro obtido antes de juros, impostos, depreciação e amortização. Por isso, ele também é conhecido como lucro operacional.

    Esse múltiplo é dado pelo EBITDA no período sobre a receita operacional no período. Para ter o valor em percentual, basta multiplicar o resultado por 100. Quanto mais próximo estiver de 100%, maior é a lucratividade do negócio.

    É necessário ter em mente que o uso desse indicador deve ser feito com cuidado. Essa avaliação deve considerar também as dívidas do negócio, assim como os impactos sobre as finanças e a segurança da companhia.

    4.      ROE

    Outro indicador fundamentalista bastante relevante é o return on equity (ROE). Também conhecido como retorno sobre patrimônio líquido, o múltiplo permite conhecer o quanto uma empresa é capaz de gerar resultados, em relação ao que ela possui como patrimônio.

    Para calcular o ROE, basta dividir o lucro líquido no período pelo patrimônio líquido no período. Se o resultado for alto, a ação tende a ser mais atrativa. Normalmente, isso indica que a empresa consegue trazer bons resultados a partir do seu trabalho.

    Nesse caso, também é importante observar se o patrimônio líquido não é muito baixo. Se isso ocorrer, o ROE pode estar inflado. Com esses cuidados, é possível encontrar companhias que oferecem maior capacidade de gerar resultados em relação ao patrimônio atual. Ao utilizar esse indicador, você pode fazer comparativos entre companhias. Para tanto, vale ter o cuidado de analisar apenas empresas do mesmo setor para evitar uma análise enviesada.

    5.      Dívida/capital social (Debt-Equity)

    Quem deseja saber o quanto uma empresa está endividada costuma utilizar esse indicador. O cálculo do Debt-Equity é dado pela divisão da dívida total da empresa pelo valor do seu capital social.

    Na dívida total, todos os empréstimos devem ser incluídos. Já o valor do capital social também considera os valores pagos pelos acionistas, por meio da emissão de ações. Assim, esse indicador pode ser interessante no momento de avaliar os fundamentos de uma empresa.

    Se a companhia possui um alto nível de endividamento, pode significar que ela está passando por um período complicado. Então talvez não seja o melhor momento para fazer o investimento. Esse múltiplo também não deve ser utilizado na comparação de organizações de setores diferentes.

    O motivo é o fato de que existem áreas que dependem de financiamentos, por exemplo. Isso pode fazer com que a análise se torne enviesada.

    6.      Dívida bruta/patrimônio líquido

    Por fim, temos a relação entre a dívida bruta de uma empresa e o seu patrimônio líquido. Esse múltiplo permite conhecer o nível de endividamento da companhia, permitindo uma melhor análise sobre a saúde financeira. Para calculá-lo, basta dividir os dois fatores.

    Geralmente, resultados mais elevados indicam que o negócio pode estar passando por um momento financeiro complicado. Nessa situação, o endividamento pode ser grande e/ou o patrimônio pequeno.

    Em relação aos resultados menores, eles tendem a indicar um nível maior de saúde financeira. Isso ajuda a orientar a tomada de decisão no momento de investir. Como nos outros indicadores, é importante fazer uma análise conjunta para uma avaliação mais completa e aprofundada.

    Como você viu, investir em ações é uma tarefa que exige análise e conhecimento. Se sentir dificuldades, lembre-se de que você pode contar com o suporte de uma assessoria de investimentos. Assim, é possível tirar dúvidas e compor uma carteira sólida e alinhada às suas expectativas.

    Está pensando em investir? Então entre em contato conosco e conte com o suporte dos nossos assessores!

    Tags: investir na bolsa de valoresanálise fundamentalistatomada de decisãoíndices fundamentalistascarteira de açõesinvestimento em açõesEBITDAvalor patrimonialpatrimônio líquidoreturn on equity

    Cadastre-se e receba mais conteúdos

      Obrigado pela visita em nosso site!

      Deixe suas informações nos campos abaixo para conhecer melhor o nosso trabalho de assessoria profissional, e receba um guia de investimentos gratuitamente.

      fechar popup

        Já sou cliente Manchester