Abra ou transfira sua conta. Comece preenchendo os dados a seguir.
Leva poucos minutos.

Blog

Quanto preciso acumular para quando me aposentar? Descubra!

O brasileiro não costuma se preocupar com o futuro. E aqueles que fazem isso esbarram em dúvidas que dificultam a tomada de decisão para ter tranquilidade financeira na aposentadoria. Por exemplo, você sabe quanto é preciso acumular para quando for se aposentar?

A resposta pode variar entre a população, já que cada um possui objetivos individuais específicos. Afinal, uma pessoa pode querer aposentar morando de frente para o mar, outra deseja se aposentar viajando o mundo etc.

Porém, o caminho para atingir a independência financeira costuma ser muito semelhante. Quer saber um pouco mais sobre esse assunto?

Então acompanhe este artigo até o final e veja dicas para ter conforto financeiro quando for o momento de se aposentar!

O que é aposentadoria?

Durante anos e décadas as pessoas costumam trabalhar, buscar um bom salário e construir patrimônio. Por exemplo, comprando carro, imóvel, tendo dinheiro poupado etc. Depois, é esperado que chegue um momento de descanso e saída do mercado de trabalho.

Para muitos trabalhadores, registrados ou autônomos, parte dos vencimentos é recolhida ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A dinâmica é que você passe a vida produtiva recolhendo uma contribuição para, quando se tornar improdutivo, receba uma renda contínua.

Isso é conhecido como aposentadoria. Ou seja, o período da vida em que, mesmo não exercendo uma atividade profissional, você receberá uma renda mensal. Essa possiblidade não é restrita aos trabalhadores formais, pois outras pessoas podem contribuir ao INSS.

Entretanto, os valores de aposentadoria pagos pelo sistema do Governo muitas vezes não são suficientes para manter o seu padrão de vida. Além disso, com as recentes reformas das Leis Previdenciárias, a aposentadoria se torna mais difícil.

Logo, você precisará adotar formas de reunir capital por conta própria, caso queira ter mais tranquilidade no momento que decidir parar de trabalhar. Nesse sentido, será preciso agir desde logo para conquistar a sua independência financeira no futuro.

Como fazer para alcançar a independência financeira?

A independência financeira é um conceito que trata da liberdade para não trabalhar mais e viver de renda passiva. Nesse sentido, você pode decidir quando se aposentar, pois não dependerá apenas de regras do sistema público.

Você viu no início que cada pessoa tem objetivos financeiros distintos, então a quantidade de capital necessário para alcançá-los pode variar. Mas os passos a serem adotados para planejar a aposentadoria podem ser os mesmos.

Confira!

Tenha controle das suas finanças

O controle financeiro costuma ser a base do sucesso da construção de capital para aposentadoria. Isso significa que você precisa ter um controle do seu orçamento afinado, sabendo o quanto entra e sai de dinheiro de sua conta todos os meses.

Entendendo a realidade das suas finanças, é possível determinar o montante que você poderá guardar mensalmente para seus objetivos de longo prazo. Além disso, será fácil identificar os gastos que podem ser reduzidos, permitindo acumular patrimônio mais rapidamente.

Monte uma reserva de emergência

Depois de adotar boas práticas financeiras, o próximo passo é compor uma reserva de emergência. Trata-se de uma quantia financeira apta a amparar você em alguma situação inesperada e urgente. Por exemplo, a perda do emprego, custos de saúde, acidentes, entre outras.

O valor a ser guardado para essa finalidade deve corresponder, no mínimo, a 6 meses do seu custo de vida. Caso você não tenha essa quantia reservada para emergências, correrá o risco de utilizar aquela que está sendo guardada para aposentadoria — frustrando esse objetivo.

Invista seu capital

Investir o dinheiro que você está juntando é uma das formas de potencializar o crescimento do seu patrimônio e obter renda passiva no futuro. Há diversos investimentos no mercado — e alguns deles são muito utilizados por quem quer planejar sua aposentadoria.

Contudo, não basta investir uma vez e esperar que o investimento lhe traga o retorno desejado. É preciso fazer aportes regulares, conferir a sua evolução, procurar por oportunidades, diversificar e rebalancear seu portfólio sempre que necessário.

Para isso, antes de montar uma carteira de investimentos, você deverá conhecer o seu perfil de investidor (conservador, moderado ou arrojado). Ele permite identificar o seu nível de tolerância aos riscos e, por consequência, as melhores alternativas de investimento para você.

Conheça algumas opções de investimentos bastante utilizadas para aposentadoria:

Fundo de Previdência Privada

O fundo de Previdência Privada pode ser uma forma de investir para que você complemente a aposentadoria paga pelo Governo ou monte a sua própria renda passiva individualmente. Assim, terá mais chances de melhores condições financeiras no futuro.

Na Previdência Privada há dois tipos de planos:

  • PGBL (plano gerador de benefício livre): nessa modalidade é possível abater até 12% da sua renda da base de cálculo do Imposto de Renda (IR). Contudo, ao fazer o resgate o IR incidirá sobre todo o valor investido;
  • VGBL (vida gerador de benefício livre): aqui não há possibilidade de dedução de impostos, mas o IR incide somente sobre os rendimentos do investimento. Assim, pode ser interessante para quem faz a declaração simplificada do IR.

Tesouro IPCA+

Os títulos do Tesouro IPCA+ são emitidos pelo Governo Federal e integram à classe da renda fixa. É uma alternativa que pode ser interessante para aposentadoria, pois apresentam longo prazo. Além disso, o tem rendimento tem uma taxa fixa, somada à variação da inflação.

O IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) é conhecido por refletir a inflação da economia do país. Nesse sentido, o dinheiro que for aplicado sempre estará rendendo acima da perda do poder de compra. Mas, para que isso seja garantido, ele deve ser levado até a data de vencimento.

Ações

As ações fazem parte dos ativos de renda variável e são negociadas na bolsa de valores. Por isso, contam com riscos maiores. Junto aos riscos, elas podem ter um maior potencial de valorização no longo prazo. Logo, podem ser uma alternativa para aposentadoria de perfis moderados e arrojados.

Ao adquirir uma ação você se torna acionista de um negócio e pode compartilhar de seus lucros e riscos. Assim, poderá lucrar com a valorização dos papéis e com o recebimento de dividendos — obtendo renda passiva.

Porém, é preciso considerar que também existe o risco de desvalorização ao investir em ações. Portanto, avalie as alternativas com cautela e avalie aquelas mais alinhadas ao seu perfil de investidor e às suas necessidades.

Conclusão

Você viu que a quantia financeira que precisa ser reunida para quando for se aposentar pode variar, já que está atrelada aos objetivos financeiros de cada um. Contudo, o caminho para alcançar a independência financeira pode ser o mesmo, seguindo as dicas deste conteúdo!

Ficou interessado em aprender mais sobre essas e outras alternativas de investimentos para aposentar com mais tranquilidade? A Manchester Investimentos tem uma equipe de assessores pronta para atender você. Entre em contato!

Tags: investir em açõesinvestimento a longo prazoplanejar aposentadoriaaposentadoriaindependência financeiratranquilidade financeirainvestir para aposentadoriainvestimentosfazer investimentosacumular patrimôniorenda passivacusto de vida

Cadastre-se e receba mais conteúdos

Obrigado pela visita em nosso site!

Deixe suas informações nos campos abaixo para conhecer melhor o nosso trabalho de assessoria profissional, e receba um guia de investimentos gratuitamente.

fechar popup