Abra ou transfira sua conta. Comece preenchendo os dados a seguir.
Leva poucos minutos.

    Blog

    Taxa Selic a dois dígitos: quais as oportunidades de investimentos diante desse cenário?

    Ao montar sua carteira de investimento, é preciso considerar as características de cada alternativa disponível e as condições do mercado. Entre os cenários que podem afetar os resultados, há a alta da taxa Selic.

    Essa é a taxa básica de juros da economia brasileira e serve como referência para todas as outras taxas de juros do mercado nacional. Além disso, a Selic é um instrumento da política monetária do Brasil e pode alterar o funcionamento da economia e do mercado financeiro — o que exige atenção por parte de quem investe.

    Quer conhecer os impactos da taxa Selic a dois dígitos? Veja como ela interfere nos investimentos e quais podem ser as oportunidades nesse cenário econômico!

    Qual é o cenário da taxa Selic?

    Para entender o contexto da Selic em alta, vale a pena compreender como esse movimento tem se consolidado. Em março de 2022, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central realizou um novo aumento na Selic, que chegou a 11,75% ao ano.

    O patamar foi alcançado após sucessivos avanços entre 2021 e o começo de 2022, em um curto período. Ainda, considerando as projeções de mercado, a expectativa é por novos aumentos. Estima-se que a taxa poderá superar o patamar de 13%, até o começo de 2023.

    Nesse contexto, a economia brasileira passou do menor nível da taxa Selic da história, quando o indicador alcançou 2% ao ano, para uma das maiores taxas de juros do mundo. Entre os motivos da elevação está a tentativa do Banco Central em controlar a inflação.

    Por desestimular o consumo, o aumento da Selic é uma medida que pode ajudar a conter o avanço de preços. Porém, é importante considerar que o cenário pode mudar rapidamente e a curva de juros pode assumir um comportamento distinto a depender do mercado.

    Portanto, esse contexto de alta deve ser usado apenas como referência para entender o que acontece quando o indicador se movimenta ao longo do tempo.

    Qual foi a maior alta da Selic até hoje?

    Apesar da alta da Selic no período de 2022, esse não foi o maior aumento que a taxa já sofreu em sua história. Ao realizar uma análise do histórico compilado pelo Banco Central do Brasil, é possível verificar os valores desde julho de 1996.

    A partir desse período, a maior Selic anual foi encontrada em março de 1999. Naquela fase, a taxa alcançou 45% ao ano. Nos anos seguintes, foi possível ver a taxa flutuar no patamar dos 20% ao ano. Em seguida, a Selic passou por tendências de queda e de alta.

    Em julho de 2015, a taxa chegou ao patamar de 14,25% ao ano. Esse também pode ser considerado um avanço relevante, já que se tornou o ponto mais elevado da década par a taxa. Entretanto, após 2016, a Selic passou por ciclos de quedas até alcançar o patamar atual.

    Quais são os efeitos da alta da Selic no mercado de investimentos?

    Independentemente de a Selic atingir seu ápice ou não, o aumento da taxa tende a influenciar diretamente o mercado financeiro. Por isso, é essencial entender quais podem ser os impactos em seus investimentos.

    A seguir, confira quais tendem a ser os efeitos principais da Selic no mercado financeiro e na sua carteira de investimentos!

    Renda fixa

    Os investimentos de renda fixa são os principais favorecidos por um avanço da Selic. Isso acontece porque o rendimento de todos os títulos está atrelado, direta ou indiretamente, a essa taxa. Portanto, um aumento na Selic eleva o nível de retorno oferecido por esses investimentos.

    Nesse contexto, é bastante comum que haja uma procura maior dos investidores pelas aplicações de renda fixa. Isso vale tanto para quem tem perfil conservador quanto para aqueles considerados investidores moderados ou arrojados.

    Renda variável

    O investimento na renda variável também é afetado pelo aumento da Selic. Porém, o movimento é o oposto da renda fixa. Isso acontece porque se torna possível obter mais rendimento sem precisar assumir os riscos da renda variável, que costuma ficar menos atraente.

    Com base nos efeitos nessas duas classes, há como notar que a decisão de investimento tende a ser afetada nesse período. Os investidores podem migrar para a renda fixa com o objetivo de aproveitar a subida dos juros ou diminuir os riscos da carteira, por exemplo.

    Ao mesmo tempo, a estratégia de investimento pode contemplar o aproveitamento de oportunidades de renda variável que estejam subvalorizadas. É o caso de ações que sejam negociadas a um preço menor do que realmente valem — e que têm boas perspectivas para o futuro.

    Quais são as principais oportunidades de investimentos nesse cenário?

    Agora que você conhece os possíveis impactos da Selic alta em seu portfólio, é preciso considerar onde investir para aproveitar o movimento. Por isso, vale a pena entender quais são as aplicações que podem compor sua estratégia.

    A seguir, conheça algumas das principais alternativas para alocação em um momento de Selic em alta:

    Títulos públicos: são emitidos pelo Tesouro Nacional para captação de recursos do Governo Federal. Os principais títulos são o Tesouro Prefixado, Tesouro Selic e Tesouro IPCA;

    Títulos privados: costumam ser emitidos por instituições financeiras. Entre eles, estão o certificado de depósito bancário (CDB), letra de crédito imobiliário (LCI) e do agronegócio (LCA);

    Títulos de crédito privado: são emitidos por instituições não-financeiras e costumam apresentar riscos maiores, mas um potencial de retorno mais elevado. Entre eles, estão debêntures, certificados de recebíveis imobiliários (CRIs) e do agronegócio (CRAs);

    Fundos de renda fixa: são veículos financeiros coletivos que alocam a maior parte dos recursos em títulos de renda fixa. A participação está condicionada à aquisição de cotas.

    Para definir quais oportunidades são mais adequadas para a sua estratégia de investimento, é importante analisar seu perfil de investidor e seus objetivos. Se você tem maior tolerância aos riscos e deseja manter o investimento por um prazo maior, por exemplo, os títulos de crédito privado podem ser mais adequados.

    Nesse processo de alocação, também vale a pena contar com uma assessoria de investimentos. Com ajuda profissional, você conhecerá o funcionamento dos investimentos de renda fixa, entenderá o contexto do mercado e poderá usar as informações para embasar suas decisões.

    Ainda, ao contar com suporte qualificado, se torna mais fácil conhecer outras alternativas de investimento e avaliar, com mais qualidade, eventuais oportunidades de alocação — inclusive na renda variável.

    Conclusão

    Como você acompanhou, a taxa Selic a dois dígitos afeta o mercado de investimentos e pode impactar a implementação das suas estratégias de alocação. No geral, a renda fixa é favorecida pelo movimento, mas é essencial considerar suas características para fazer as escolhas mais adequadas nesse cenário econômico.

    O que achou dessas informações? Caso precise de ajuda para conhecer as oportunidades do mercado, entre em contato conosco da Manchester Investimentos!

    Tags: carteira de investimentoestratégia de investimentoTaxa de jurosinvestimento na renda variávelaplicações de renda fixaselic alta onde investirselic altariscos renda variávelinvestimento na renda fixadecisão de investimento

    Cadastre-se e receba mais conteúdos

      Obrigado pela visita em nosso site!

      Deixe suas informações nos campos abaixo para conhecer melhor o nosso trabalho de assessoria profissional, e receba um guia de investimentos gratuitamente.

      fechar popup

        Já sou cliente Manchester