fbpx

Investimentos para médicos: como montar uma carteira sólida?

Investimentos para médicos - como montar uma carteira sólida

Profissionais da área da saúde costumam apresentar regimes específicos de trabalho, como plantões, escalas e atuação liberal. No caso dos médicos, essa dinâmica exige atenção para a vida financeira — o que inclui a realização de investimentos.

Com a composição de uma carteira sólida, quem atua como médico pode aproveitar benefícios em curto, médio e longo prazo em relação à saúde das finanças. Para tanto, é preciso saber como analisar suas características e explorar as opções disponíveis no mercado financeiro.

Neste artigo, você conhecerá alternativas de investimentos para médicos e saberá como montar um portfólio robusto. Confira!

Por que é importante fazer investimentos?

A primeira consideração a fazer envolve os motivos para começar a investir. Esse processo é relevante para qualquer pessoa, já que é considerado um bom hábito de construção de patrimônio. Afinal, essa é uma forma de cuidar melhor do seu dinheiro e de se preparar para o futuro.

Por meio dos investimentos, é possível compor um patrimônio que o ajude a conquistar suas metas e fazer o dinheiro trabalhar para você. Ainda, investir é uma maneira de se proteger de imprevistos e de ter mais segurança financeira no médio e no longo prazo.

Para os médicos, isso é especialmente importante, já que é comum atuar como profissional liberal. Se você tiver o próprio consultório ou atuar sem um vínculo empregatício, é preciso dar atenção extra ao cuidado com as finanças.

Muitos médicos conquistam um bom padrão de vida. Por isso, é importante saber como manter e proteger o patrimônio. Afinal, imprevistos podem impactar diretamente sua capacidade de obter ganhos.

Ainda, montar um portfólio de investimento pode ser útil para os médicos que desejam planejar a aposentadoria. No longo prazo, esse hábito ajuda a manter um padrão de vida confortável e a proteger a família, por exemplo.

Como montar uma carteira de investimentos sólida?

Para começar a investir, é essencial entender quais são os pilares de uma carteira sólida. Assim, você terá os direcionamentos iniciais para alocar seu dinheiro e ter a chance de obter os primeiros resultados.

Na sequência, veja dicas que podem ajudá-lo a criar um portfólio de investimentos mais robusto!

Aumente sua educação financeira

Antes de dar os primeiros passos para compor uma carteira de investimentos para médicos, é essencial trabalhar sua educação financeira. A ideia é otimizar a relação com o dinheiro, o que o ajudará a tomar decisões melhores no seu orçamento e nos investimentos.

Ao aprender mais sobre o uso do dinheiro, você poderá aumentar seu nível de inteligência financeira. Assim, saberá como montar um orçamento, criar um planejamento e economizar para poder investir, por exemplo.

Expandir seu nível de conhecimento sobre o tema das finanças também é importante para descobrir como manter a disciplina. Isso o ajudará a compor e consolidar sua carteira de investimentos ao longo do tempo.

Conheça seu perfil de investidor

Outro aspecto relevante para considerar é o seu perfil de investidor. Ele indica o seu nível de tolerância ao risco e, portanto, o quanto você tolera as movimentações e as chances de perdas do mercado. Com base nele, é possível direcionar melhor seus investimentos.

Após identificar se você é conservador, moderado ou arrojado, será mais fácil compreender como compor seu portfólio e qual é o meio ideal de equilibrar risco e retorno. Assim, é possível investir de modo confortável, sem desperdiçar oportunidades.

Defina seus objetivos financeiros

Além de saber qual é a sua tolerância ao risco, é fundamental entender o que você espera alcançar ao investir em ativos financeiros. Por isso, vale a pena estabelecer seus objetivos financeiros em diferentes períodos.

Na hora de definir suas metas, pense no curto, médio e longo prazo. Logo, é possível incluir objetivos como uma viagem de férias com a família, o crescimento do patrimônio, a aposentadoria etc. Desse modo, será viável investir de forma alinhada com cada objetivo.

Crie a sua estratégia de investimentos

Após ter educação financeira e conhecer suas características, é possível desenvolver a sua estratégia de investimentos. Ela envolve aspectos como os tipos ideais de investimentos, a frequência de aportes, os pontos mais importantes para tomar decisões e outras questões semelhantes.

O ideal é criar uma estratégia que ofereça direcionamento para a sua tomada de decisão. A partir dela, você poderá compor a carteira e realizar adaptações ao longo do tempo, conforme a sua necessidade.

Quais investimentos os médicos podem considerar para montar a carteira?

Até aqui, você viu quais são os passos iniciais que os médicos podem adotar para fazer investimentos. Agora é interessante conhecer quais podem ser as alternativas mais atraentes e como elas funcionam.

Note que as informações a seguir não são recomendações de investimento e têm apenas caráter educacional. Ademais, antes de investir, é preciso considerar suas características para fazer as escolhas mais alinhadas às suas expectativas.

Com isso em mente, veja quais investimentos poderiam integrar sua estratégia!

Renda fixa

A renda fixa é uma classe de investimentos na qual as regras de rentabilidade são conhecidas antecipadamente. O retorno pode ser:

Prefixado: é dado por uma taxa fixa que é definida previamente;

Pós-fixado: acompanha o desempenho de um indicador de mercado;

Híbrido: é formado por uma taxa fixa mais a variação de um indicador de mercado.

Em geral, esses são investimentos com menos riscos do que os ativos de renda variável. Porém, as condições de liquidez e prazo variam e dependem de cada emissor.

Nessa classe, existem alguns investimentos que podem ser interessantes para os mais diferentes prazos, como:

Tesouro Prefixado;

Tesouro Selic;

Tesouro IPCA;

Certificado de depósito bancário (CDB);

Letra de crédito imobiliário (LCI);

Letra de crédito do agronegócio (LCA);

Debêntures;

Certificado de recebíveis do agronegócio (CRA);

Fundos de investimento em direitos creditórios (FIDCs);

Fundos DI e mais.

Renda variável

Já os investimentos da renda variável não têm regras conhecidas de rendimento. Logo, não é possível prever como (ou se) ocorrerá a rentabilidade. Essas características aumentam os riscos, mas também elevam o potencial de ganhos — especialmente no longo prazo.

Além disso, vale saber que parte dos investimentos de renda variável é negociada na bolsa de valores brasileira (B3), enquanto outra parcela pode ser encontrada nas plataformas de investimento.

Entre as opções estão:

ações;

fundos de ações;

fundos de índices (ETFs);

fundos de investimentos imobiliários (FIIs);

fundos internacionais;

fundos cambiais;

fundos multimercados;

fundos de criptomoedas;

certificados de depósito de valores mobiliários (BDRs), entre e outros.

Neste artigo você aprendeu como os médicos podem compor uma carteira de investimentos sólida e voltada para diferentes objetivos. Ao pensar sobre isso, é possível proteger melhor seu dinheiro e se aproximar da concretização dos seus planos.

Quer ajuda para conhecer melhor as oportunidades de investimentos disponíveis no mercado? Fale com nossos assessores da Manchester Investimentos!

Baixe agora o seu ebook
Abra sua conta agora
Cadastre-se em nossa Newsletter Semanal

Posts relacionados

Títulos públicos

É hora de investir em IPCA+?

Recentemente, as expectativas do mercado quanto ao rumo de alguns indicadores econômicos mudaram, trazendo consigo algumas oportunidades para investimentos em ativos IPCA+. Cenário atual atrativo

Leia mais »
Invista com a melhor escolha para os seus investimentos.