Abra ou transfira sua conta. Comece preenchendo os dados a seguir.
Leva poucos minutos.

    Blog

    O que são fundos de investimento em participações (FIPs)?

    Os fundos de investimento podem ser interessantes para quem deseja diversificar a carteira com mais praticidade. Entre os tipos de fundos disponíveis no mercado financeiro estão os fundos de investimento em participações (FIPs).

    No entanto, essa modalidade de investimento possui características bastante particulares, que devem ser conhecidas pelos investidores antes do aporte. Assim, é possível entender se a alternativa faz sentido para o seu portfólio.

    Neste artigo, você entenderá o que são fundos de investimento em participações e conhecerá suas vantagens e riscos da alternativa. Acompanhe!

    O que são fundos de investimento?

    Para entender o que são os FIPs, é importante conhecer alguns conceitos relacionados ao tema. Primeiramente, saiba que os fundos de investimento são modalidades financeiras de investimento coletivo.

    Assim, os investidores que desejam participar dos resultados do fundo devem adquirir cotas de participação. Os recursos são administrados por um gestor, que utiliza sua experiência e estratégia para fazer os investimentos em busca de lucros no mercado.

    Para isso, o profissional deve realizar as alocações respeitando a estratégia definida pelo fundo. Há, ainda, o administrador, que fica responsável por constituir o veículo de investimento e garantir que ele seguirá as regras e definições do mercado brasileiro.

    O que é um FIP?

    Agora você pode compreender com mais facilidade o que são os fundos de investimento em participações. Na prática, o FIP também reúne investidores e é gerido e administrado por profissionais.

    Contudo, um dos principais diferenciais que ele apresenta é a possibilidade de investir em empresas de capital fechado. Além disso, o FIP também pode aportar recursos em ações de companhias de capital aberto, debêntures conversíveis, bônus de subscrição e outros títulos mobiliários conversíveis.

    A modalidade — que faz parte da renda variável — recebe esse nome porque seu principal objetivo é garantir a participação do fundo na gestão dos negócios que compõem seu portfólio. Dessa forma, o foco não está apenas em alocar dinheiro em empresas, mas se envolver no controle de companhias em diversos estágios de desenvolvimento.

    Como funcionam os fundos de investimento em participações?

    Apesar de o funcionamento do FIP ser semelhante ao de outros fundos de investimento, existem diferenciais importantes. Por exemplo, existem diversos tipos de FIPs, conforme o foco dos aportes em relação às empresas que farão parte do portfólio.

    Um FIP de capital semente, por exemplo, investe em negócios menores e iniciais, como startups. A estratégia também permite direcionar recursos para empreendimentos no setor de infraestrutura ou que já estão relativamente consolidados.

    Com os aportes, o fundo passa a ter poder de decisão na gestão da empresa. Isso é feito pela compra de ações suficientes ou pelo acordo com sócios e outros acionistas. Assim, há o direito de indicar nomes para o Conselho Administrativo do negócio, por exemplo, e participar das decisões.

    Dessa forma, o FIP visa capitalizar a companhia, profissionalizar sua gestão e implementar boas práticas. Como consequência, o empreendimento pode se valorizar e resultar, até mesmo, em uma oferta pública inicial (IPO), com a abertura do capital na bolsa de valores.

    Assim, existem diversas oportunidades de rendimentos e retorno para os investidores caso as empresas que fazem parte do fundo consigam se desenvolver.

    Quais são as principais características de um FIP?

    Com mais conhecimentos sobre o FIP, é possível entender como ele se diferencia das demais alternativas do mercado. Afinal, o foco dos fundos de investimento em participações é se envolver no desenvolvimento de um negócio, participando da parte de gerenciamento e administração.

    O prazo de investimento é outra característica relevante dessa alternativa. Nesse caso, o resgate das cotas só acontece após o prazo determinado. Além disso, não é possível fazer novos aportes ao longo do tempo, pois o processo é limitado ao período inicial.

    Esses aspectos são relevantes porque o investimento costuma ter um prazo relativamente longo. Afinal, é preciso aguardar o amadurecimento do negócio. Também é uma característica diferencial dos FIPs o investimento em companhias de capital fechado.

    Isso porque, nos demais fundos de investimento — como os fundos de ações e multimercados —, o aporte do capital é feito apenas em empresas de capital aberto.

    Quais são as vantagens e riscos de investir em FIPs?

    Além de conhecer as características dos FIPs, vale a pena considerar suas vantagens e riscos antes de investir. O primeiro benefício é a chance de participar de um empreendimento desde antes da sua abertura de capital. Isso aumenta a possibilidade de valorização e de lucros posteriores.

    O investimento nos negócios também é uma forma de estimular a economia do país, pois o valor é usado para fortalecer, capitalizar e estimular companhias de diversos segmentos. Indiretamente, o processo pode resultar em maior geração de empregos, por exemplo.

    Em relação aos riscos, é preciso pensar que a chance de grande valorização dos fundos de investimento em participações está atrelada a um risco elevado.

    Embora os gestores busquem negócios com grande potencial de crescimento, a expectativa pode não se concretizar. Dificuldades na gestão, problemas no setor ou mesmo retração do mercado podem fazer com que o capital investido desvalorize.

    A falta de liquidez é outro risco que deve ser analisado. Afinal, o resgate só pode ocorrer no momento acordado, o que costuma acontecer apenas no longo prazo.

    Quando pode valer a pena investir em um FIP?

    Se você ficou interessado em investir em um FIP, precisa analisar se o investimento faz sentido para a sua carteira de investimentos. Como você viu, essa modalidade pode valer a pena para quem tem objetivos de longo prazo e pode deixar os recursos alocados por períodos amplos.

    Também pode fazer sentido para quem deseja contar com gestão qualificada. Assim, as decisões referentes às empresas nas quais investir são tomadas por um profissional.

    Além disso, ao considerar os riscos, você deve analisar seu perfil de investidor. Nesse sentido, os fundos de investimento em participações tendem a ser uma alternativa mais adequada para investidores com perfis moderados e arrojados.

    Vale ressaltar, ainda, que os FIPs são investimentos destinados a investidores qualificados. Ou seja, é preciso ter mais de R$ 1 milhão investido ou possuir certificação profissional do mercado financeiro para investir nesses veículos financeiros.

    Com essas informações, você conheceu mais uma opção de renda variável: os fundos de investimento em participações. Lembre-se de que se trata de uma modalidade para investidores qualificados, que pode ser considerada para diversificação da carteira.

    Gostou de saber mais sobre os FIPs? Siga nossas redes sociais e acompanhe todas as publicações sobre o mercado financeiro! Estamos no Instagram, Facebook, LinkedIn e YouTube!

    Tags: investimento de longo prazoRenda variávelMercado Financeiroo que é fipfundo de investimentoinvestidor qualificadolongo prazoFIPo que é fundo de investimento em participaçõesinvestir em FIPcomo funciona FIPtipo de fundoinvestir em empresasFIPs;

    Cadastre-se e receba mais conteúdos

      Obrigado pela visita em nosso site!

      Deixe suas informações nos campos abaixo para conhecer melhor o nosso trabalho de assessoria profissional, e receba um guia de investimentos gratuitamente.

      fechar popup

        Já sou cliente Manchester