Abra ou transfira sua conta. Comece preenchendo os dados a seguir.
Leva poucos minutos.

    Blog

    Rebalanceamento da carteira como e quando fazer?

    Quando a sua carteira de investimentos se torna mais robusta, é possível que, em algum momento, os seus resultados não sejam satisfatórios. Além disso, o portfólio pode deixar de estar alinhado ao seu perfil e objetivos. Nesses casos, é importante saber como fazer o rebalanceamento.

    O processo ajuda a equilibrar os investimentos e torná-los mais adequados às suas expectativas e necessidades. Contudo, a frequência com que deve ser feito dependerá da proporção de ativos e dos resultados apurados. Então vale a pena aprender mais sobre o tema.

    Neste artigo, você entenderá a importância do rebalanceamento da carteira e descobrirá como colocá-lo em prática. Não perca!

    O que é o rebalanceamento da carteira de investimento? 

    Uma carteira de investimentos pode ser composta por diferentes ativos, derivativos e produtos financeiros, em proporções diversas. Na prática, a composição dependerá da sua tolerância ao risco e dos seus objetivos.

    Em alguns casos, é necessário realizar alterações no portfólio para manter uma proporção de investimentos adequada às suas necessidades. Crises financeiras, por exemplo, podem afetar seus ativos de renda variável, fazendo com que a carteira fique desbalanceada, pois o percentual em renda fixa tende a aumentar.

    Em outros períodos, os investimentos feitos na bolsa de valores podem subir, fazendo com que o nível de risco do portfólio se torne maior. Também é possível que a rentabilidade da carteira deixe de ser vantajosa como você esperava, considerando o nível de riscos.

    Ademais, quando seus objetivos mudam, é comum que seja preciso fazer ajustes. Se você deseja mais liquidez ou rendimento, por exemplo, talvez precise buscar investimentos diferentes daqueles que estão na sua carteira.

    Em todas as situações, o rebalanceamento é importante. Logo, rebalancear a carteira de investimentos é um processo que considera os ciclos do mercado, os objetivos do investidor e os riscos do portfólio.

    Como funciona o rebalanceamento?

    Para entender como o rebalanceamento funciona, imagine que a sua estratégia de investimento envolve alocar 25% do seu patrimônio em renda fixa e 75% em renda variável. Considere que o mercado está passando por um período de baixa e o preço das ações caíram.

    Logo, os percentuais do capital alocado mudarão. Nesse caso, imagine que o seu portfólio passou a ter 60% em ativos de renda variável e 40% em produtos de renda fixa. Isso pode afetar o seu potencial de rentabilidade, fazendo com que você tenha interesse em voltar ao patamar anterior.

    Nesse sentido, existem diferentes estratégias para rebalancear a carteira, como adquirir mais ativos na bolsa de valores ou se desfazer de aportes de renda fixa. Portanto, é relevante analisar seu portfólio com frequência para entender quais alterações são necessárias.

    Qual a importância de fazer o rebalanceamento de portfólio? 

    Como você viu, existem diversos motivos que mostram a importância de rebalancear a sua carteira de investimentos. O primeiro deles é a chance de aproveitar oportunidades no mercado financeiro.

    Afinal, muitos fatores podem impactar o desempenho da sua carteira, sejam eles sociais, políticos ou econômicos. Até mesmo o que ocorre no mercado internacional pode influenciar as decisões e a performance da economia nacional.

    Dessa forma, os períodos também podem representar oportunidades para os investidores. Logo, aqueles que são adeptos do rebalanceamento do portfólio podem aproveitá-las com mais eficiência, pois tendem a acompanhar o mercado com mais frequência.

    É possível ampliar o potencial de retorno realizando as mudanças para otimizar o desempenho da sua carteira. Ademais, o mercado financeiro é dinâmico e está em constante evolução. Com isso, novos investimentos podem surgir.

    Assim, se você tem o hábito de rebalancear a carteira, pode incluir novas possibilidades no seu portfólio. Outro ponto importante do rebalanceamento está no fato de que ele ajuda a entender se a sua estratégia de investimento está adequada às suas expectativas.

    Como você aprendeu, dependendo da variação do mercado, um ativo de alto risco pode aumentar sua proporção na carteira. Se isso ocorrer, o investidor estará mais sujeito a perdas financeiras. Assim, o rebalanceamento permite equilibrar e manter o risco no nível traçado inicialmente.

    Como fazer o rebalanceamento de carteira?

    Depois de entender o que é, como funciona e qual a importância do rebalanceamento da carteira, é válido compreender como adotar essa estratégia. Confira as dicas a seguir:

    Conhecer seu perfil e objetivos

    O primeiro passo é estabelecer seu perfil de investidor e seus objetivos financeiros. Isso ajuda a conhecer sua tolerância ao risco e as condições de liquidez mais apropriadas para a sua carteira, por exemplo. Ou seja, são características que ajudam a guiar suas escolhas no mercado.

    Porém, tanto o perfil quanto os objetivos podem mudar. Por exemplo, o seu conhecimento sobre investimentos pode aumentar com o tempo, fazendo com que você se sinta mais interessado em incluir outros ativos em sua carteira.

    Por isso, vale a pena fazer essa análise no momento de avaliar o desempenho do portfólio e fazer o rebalanceamento.

    Definir um percentual para cada classe de investimento

    Após estabelecer seu perfil e objetivos, trace o percentual que será investido em cada classe de investimento. Sempre que essa proporção perder o equilíbrio você saberá que chegou o momento de rebalancear a carteira.

    Também é importante avaliar se o percentual de alocação desejado é o mesmo determinado inicialmente. Caso contrário, é preciso fazer os ajustes para que a carteira atenda às suas necessidades atuais.

    Planejar um prazo para revisar a carteira

    Se você não tem o costume de acompanhar o mercado financeiro com frequência, é interessante, ao menos, definir um prazo para analisar o desempenho do seu portfólio. Porém, não existe um período predeterminado para analisar a carteira.

    Isso porque os ciclos do mercado podem mudar com regularidade e cada investidor precisa considerar suas necessidades com os investimentos — que podem se alterar com o tempo. Dessa maneira, faça um planejamento para determinar qual será a periodicidade da sua avaliação.

    Agora você sabe que, além de montar a carteira, é importante acompanhar seus resultados e fazer o rebalanceamento sempre que for necessário. Assim, é possível ter um portfólio mais consistente e sólido, acompanhando as mudanças no mercado ou em suas características enquanto investidor.

    Gostou do conteúdo e quer ampliar seus conhecimentos sobre o mercado financeiro? Entenda o que é inflação e estagflação e saiba como eles podem impactar você!

    Tags: perfil de investidorcarteira de investimentosinvestimentosplanejamento financeiroaçõesmercado de açõesobjetivos financeirosestratégia de investimentosrebalanceamento de carteirarebalanceamento ibovesparebalanceamento de carteira de açõesciclos de mercadoriscos de investimentosinvestimentos em ações;

    Cadastre-se e receba mais conteúdos

      Obrigado pela visita em nosso site!

      Deixe suas informações nos campos abaixo para conhecer melhor o nosso trabalho de assessoria profissional, e receba um guia de investimentos gratuitamente.

      fechar popup

        Já sou cliente Manchester